Publicado por: luizerbes | fevereiro 7, 2012

O absurdo (e improdutivo) embargo econômico a Cuba

O muro de Berlim veio abaixo em 1989, a União Soviética se desintegrou em 1991, a China (comunista, mas funcionando quase como uma ditadura capitalista) é o maior chão de fábrica do planeta, a América do Sul se democratizou … só os Estados Unidos parecem presos a um embargo econômico improdutivo, buscando isolar Cuba, que chegou a 50 anos nesta terça-feira. Alguém precisa avisar a Barack Obama, o guerreiro, que a guerra fria acabou há décadas.

Esse embargo tem duas consequências óbvias: primeiro, provoca um grande sofrimento ao povo cubano, já que inviabiliza parcerias efetivas com a maioria dos países (devido à pressão americana); segundo, a ajuda a manter o governo dos irmãos Castro no poder sem grandes contestações.  No final das contas, a cegueira – ou seria burrice, motivada por um lobby de cubanos que esperam um dia retornar à ilha e reestabelecer a ordem pré-1959 – mantém vivos os ideais da revolução empreendida por Fidel Castro e Che Guevara.

***

Nestes 50 anos, o embargo econômico norte-americano já provocou várias coisas estúpidas. Uma delas envolve o diretor Win Wenders. O cineasta alemão, autor de obras-primas como “Paris, Texas” e “Asas do Desejo”, foi a Cuba e filmou o ótimo “Buena Vista Social Club”, com cubanos mostrando a ótima música cubana. Por causa do embargo, Win Wenders foi multado pelo governo norte-americano em US$ 5 mil.

***

Apesar do embargo, Cuba conquistou alguns ótimos indicadores sociais. A ilha, por exemplo, tem um índice de mortalidade infantil menor do que muitos países do Primeiro Mundo, inclusive os Estados Unidos; as crianças têm acesso à educação e à saúde. Não fosse o embargo – que não impede apenas negócios com os Estados Unidos,  mas com os países vizinhos -, teria certamente obtido bons resultados na economia.

***

O calcanhar de Aquiles é a repressão, mas ela é fruto em grande parte das tentativas de desastabilização por parte do governo norte-americano, que ensaiou até uma invasão nos anos 60. Dissidentes vem fazendo greve de fome, mas convém lembrar que em Guantánamo também há presos em greve de fome (ignorados solenemente pela nossa mídia).

***

No final das contas, a revolução (pelo menos vendo à distância, sem nunca ter conhecido a ilha) parece ter mais aspectos positivos do que negativos. Antes de 1959, Cuba era uma ditadura e funcionava um grande cassino, frequentado pelos norte-americanos, enquanto o povo vivia em situação muito pior do que hoje.

A melhora pode se ver também na hora que algum furacão devasta a região. A chuva e os ventos provocam destruição em toda o Caribe, mas o número de vítimas fatais em Cuba sempre é muito menor do que nos outros países, que vivem sob a ordem econômica dos ricos do Norte.

***

Um último tópico: por que será as regiões mais ricas da América do Sul estão justamente no sul do continente? Seria por que a distância dos Estados Unidos é maior?

Pode até não ser, mas ser um vizinho próximo dos Estados Unidos é seguramente um péssimo negócio. É só olhar para o Caribe e para a América Central.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: