Publicado por: luizerbes | novembro 28, 2010

O domingo do Wikileaks

Cópia do site do El País, da Espanha, na noite deste domingo

Este domingo, 28 de novembro, foi marcado pelo anúncio da vitória sobre o tráfico no Rio,  uma rodada do Brasileirão com jogos suspeitos e, em especial, a divulgação de uma farta documentação obtida pelo Wikileaks e entregue a alguns dos principais jornais do planeta.  Como a primeira não é vitória que vai durar, já que o problema na própria proibição às drogas, e a segunda já faz parte do cotidiano do futebol nacional, vou me ater na terceira.

Uma parte dos dados, repassados pelo Wikileaks a jornais como The Guardian, El País e New York Times, já são de conhecimento público, mas há detalhes e provas que podem ser consideradas novas. Os documentos, contudo, trazem informações novas, algumas reveladoras e outras completamente irrelevantes, que evidenciam a neurose da CIA e de área responsável pelo política externa dos Estados Unidos, agora sob a batuta de Hillary Clinton.

E a senhora Clinton é a primeira a estar em evidência. Hillary ordenou, segundo os documentos, uma direta espionagem ao presidente da ONU, Ban Ki-moon, a seus auxiliares diretos e aos representantes de Inglaterra, França, Rússia e China, países que têm direito a veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas. Isso representa uma clara violação à convenção da ONU, firmada pelos Estados Unidos. O El País traz matéria sobre a espionagem.

À noite, Hillary Clinton divulgou nota condenando a divulgação dos documentos. Mas nada falou sobre as razões de ordenar uma espionagem a ONU. Ou seja, fugiu do assunto como uma vampira foge do alho.

Outra informação que evidencia a hipocrisia de governantes está nos dirigentes árabes. É sabido que Israel e Estados Unidos pensam em atacar o Irã, pelo programa nuclear, mas a insistência da Arábia Saudita para uma solução militar é reveladora. Em público, o discurso não é bem esse. Matéria sobre assunto pode ser lida no El País.

Há ainda detalhes sobre as festas de Berlusconi, desconfianças sobre Sarkozy, o poder de Vlatimir Putin, dúvidas sobre a saúde de Cristina Kirchner e a tentativa de isolar Hugo Chávez na América Latina. E muito mais para quem quiser conhecer as neuroses diplomáticas americanas.

No final das contas, fica a sensação de que o discurso oficial norte-americano, defendendo a democracia, cai por terra, com uma fruta que está no solo, apodrecendo de forma irremediável. Parace que os Estados Unidos são comandados por neuróticos em busca do poder global, em que todos, até os amigos, são entraves, ameaças.

***

E a Veja, aquela publicação que afirma fazer jornalismo, ainda diz que temos que seguir a cartilha da política externa norte-americana.

Anúncios

Responses

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Luiz Erbes, Luiz Erbes. Luiz Erbes said: O domingo foi do Wikileks. Leia em http://tinyurl.com/29jum98 […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: